segunda-feira, 20 de setembro de 2010

ATIRE A PRIMEIRA FLOR:


Quando tudo for pedra, atire a primeira flor;

Quando tudo parecer caminhar errado,

seja você a tentar o primeiro passo certo;

Se tudo parecer escuro,

se nada puder ser visto,

acenda você a primeira luz,

traga para a treva, você primeiro, a pequena lâmpada;

Quando todos estiverem chorando,

tente você o primeiro sorriso;

talvez não na forma de lábios sorridentes,

mas na de um coração que compreenda,

de braços que confortem;

Se a vida inteira for um imenso não,

não pare você na busca do primeiro sim,

ao qual tudo de positivo deverá seguir-se;

Quando ninguém souber coisa alguma,

e você souber um pouquinho,

seja o primeiro a ensinar,

começando por aprender você mesmo,

corrigindo-se a si mesmo;

Quando alguém estiver angustiado

à procura, consulte bem o que se passa,

talvez seja em busca de você mesmo

que este seu irmão esteja;

Daí, portanto,

o seu deve ser o primeiro a aparecer,

o primeiro a mostrar-se,

primeiro que pode ser o único e,

mais sério ainda, talvez o último;

Quando a terra estiver seca,

que sua mão seja a primeira a regá-la;

Quando a flor se sufocar na urze e no espinho,

que sua mão seja a primeira a separar o joio,

a arrancar a praga, a afagar a pétala,

a acariciar a flor;

Se a porta estiver fechada,

de você venha a primeira chave;

se o vento sopra frio,

que o calor de sua lareira seja a primeira

proteção e primeiro abrigo.

Se o pão for apenas massa e não estiver cozido,

seja você o primeiro forno

para transformá-lo em alimento.

Não atire a primeira pedra em quem erra.

De acusadores o mundo está cheio;

nem, por outro lado, aplauda o erro;

dentro em pouco, a ovação será ensurdecedora;

Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu;

sua atenção primeiro para aquele que foi esquecido;

seja você o primeiro para aquele

que não tem ninguém;

Quando tudo for espinho,

atire a primeira flor;

seja o primeiro a mostrar que há caminho de volta,

compreendendo que o perdão regenera,

que a compreensão edifica,

que o auxílio possibilita,

que o entendimento reconstrói.

Atire você,

quando tudo for pedra,

a primeira e decisiva flor.

Texto: Glácia Daiber

domingo, 19 de setembro de 2010

ESTUDO DA APOMETRIA:





APOSTILA " APOMETRIA - CARIDADE E EVOLUÇÃO"
319 páginas
Valor: R$ 50,00

Horários de Estudo:

5a.feira às 20:00h
Sábado às 15:00h

PONTOS DE LUZ:

NA CASA DO TODO, NINGUÉM É ESTRANGEIRO.

(Texto de Wagner Borges.)

As estrelas não são estranhas.

Nem nenhum Ser...

Porque o Todo* está em tudo.

E, sendo assim, Ele também habita em nós.

Desde a galáxia mais distante, até o âmago de nossos corações...

É Ele em tudo.

Ninguém é estrangeiro!

Há uma Luz em cada coração.

E diferenças culturais, sexuais ou raciais não alteram isso.

Pois nada na Terra pode anular a essência espiritual de cada Ser.

Por isso, ninguém é estranho!

E de que adianta falarmos do Divino, se não O vemos no brilho do olhar dos outros?

Estranho é isso: não sermos capazes de perceber o Todo em tudo.

E, às vezes, nem em nós mesmos.

Aliás, somos capazes de negar até mesmo isso.

Estranha é essa nossa arrogância!

Que nos humilha tanto, e detona os nossos melhores potenciais.

O orgulho deixa-nos tão pequenos... E, iludidos, nem notamos isso.

Mesmo assim, brigamos e assumimos posição de gigantes.

Inflamos o nosso ego, mesmo vazios de consciência real.

Estranho é anestesiarmos nossa espiritualidade.

E fazemos isso para não pensarmos em outros horizontes além do físico.

E, mais estranho ainda, é quando sabotamos os nossos melhores sentimentos.

Fingimos que eles não existem e os sepultamos sob toneladas de ilusões.

Sim, somos capazes de abafar o amor em nós mesmos.

Ah, isso é que é estranho!

O universo, as estrelas, a vida e todos os Seres...

Tudo dentro do Coração Espiritual do Supremo.

Então, como considerar alguém estranho, se tudo está dentro do Todo?

E nós também?

Na verdade, esquecemos disso porque nos deixamos levar pela arrogância.

Por isso, nos tornamos estranhos até para nós mesmos.

Contudo, somos bem melhores do que supomos.

Sim, porque o Todo está em nossos corações e nos conhece profundamente.

E, quando deixamos o Amor fluir em nós, somos capazes de realizar coisas lindas...

Então, passamos a ouvir a Voz do Todo, que só o coração escuta.

E, quando isso ocorre, deixamos de ser estranhos para nós mesmos.

E aí, tudo muda... E ninguém parece mais estrangeiro.

E, em cada olhar, nós O vemos...

Ele, o Todo que está em tudo!

P.S.:

Ninguém é estranho!

Todos são companheiros de jornada.

E, mesmo sem entender tudo, sentimos isso.

Então, de alguma maneira intuitiva, compreendemos...

Porque, quem ama, sabe.

E é feliz, só por existir.

Sim, há uma Luz que brilha mais do que bilhões de sóis.

É a essência da alma.

Essa é a Luz que mora em nossos corações.

Paz e Luz!

- Wagner Borges – neófito do Todo.

São Paulo, 11 de maio de 2010.

- Nota:

* O TODO: expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.


EU, DOMADOR DE MIM:

Um ermitão, uma destas pessoas que por amor a Deus se refugiam na solidão do deserto, do bosque ou das montanhas para dedicar-se somente à oração e à penitência, muitas vezes reclamava que tinha muito que fazer.

Lhe perguntaram como era possível que em sua solidão tivesse tanto trabalho.

- Tenho que domar dois falcões, treinar duas águias, manter quietos dois coelhos, vigiar uma serpente, carregar um asno e sujeitar um leão.

- Não vemos nenhum animal perto do local onde vives.

Onde estão estes animais?

O ermitão então explicou:

- Estes animais todos os homens têm, vocês também...

Os dois falcões se lançam sobre tudo o que aparece, seja bom ou mau.

Tenho que domá-los para que só se fixem sobre uma boa presa.

São meus olhos.

As duas águias ferem e destroçam com suas garras.

Tenho que treiná-las para que sejam úteis e ajudem sem ferir.

São minhas mãos.

Os dois coelhos querem ir onde lhes agrada, fugindo dos demais e esquivando-se das dificuldades.

Tenho que ensinar-lhes a ficarem quietos mesmo que seja penoso, problemático ou desagradável.

São meus pés.

O mais difícil é vigiar a serpente, apesar dela estar presa numa jaula de 32 barras.

Está sempre pronta para morder e envenenar os que a rodeiam, mal se abre a jaula. Se não a vigio de perto, causa danos.

É minha língua.

O burro é muito obstinado, não quer cumprir com suas obrigações.

Alega estar cansado e se recusa a transportar a carga de cada dia.

É meu corpo.

Finalmente, preciso domar o leão.

Quer ser o rei, o mais importante; é vaidoso e orgulhoso.

É meu coração.

Portanto, há muito que fazer...

(Autor Desconhecido)


TUDO É AMOR...

Observa, amigo, em como do AMOR tudo provém; e no AMOR tudo se resume.

Vida - é o Amor existencial.

Razão - é o Amor que pondera.

Estudo - é o Amor que analisa.

Ciência - é o Amor que investiga.

Filosofia - é o Amor que pensa.

Religião - é o Amor que busca Deus.

Verdade - é o Amor que se eterniza.

Ideal - é o Amor que se eleva.

Fé - é o Amor que transcende.

Esperança - é o Amor que sonha.

Caridade - é o Amor que auxilia.

Fraternidade - é o Amor que se expande.

Sacrifício - é o Amor que se esforça.

Renúncia - é o Amor que se depura.

Simpatia - é o Amor que sorri.

Altruísmo - é o Amor que se engrandece.

Trabalho - é o Amor que constrói.

Indiferença - é o Amor que se esconde.

Desespero - é o Amor que se desgoverna.

Paixão - é o Amor que se desequilibra.

Ciúme - é o Amor que desvaira.

Egoísmo - é o Amor que se animaliza.

Orgulho - é o Amor que enlouquece.

Sensualismo - é o Amor que se envenena.

Vaidade - é o Amor que se embriaga.

Finalmente, o ódio, que julgas ser a antítese do Amor;

não é senão o próprio Amor que adoeceu gravemente.

Tudo é Amor. Não deixes de Amar nobremente.

(André Luiz)


VIVER VALE A PENA — SER LUZ É SER FELIZ :

Nem sempre as coisas são como parecem ser. Turbante na cabeça não significa maestria alguma. Renegar a vida humana nada tem a ver com iluminação. Negar o valor do corpo — veiculo sagrado – é desrespeitar a Terra. Não ver o sagrado em tudo, é ser profano ! Conhecimento não é sabedoria; e servilismo não é humildade. Mais vale o materialista que realiza algo do que o espiritualista teórico. Uma abraço cálido passa mais luz do que um diploma de mestre bioenergético. Duas montanhas são imensas, mas não podem se abraçar. Duas pessoas podem. Escalar o Himalaia não significa iluminar-se. Cabras fazem isso diariamente. Ir a India ou a Machu Picchu não é o mesmo que viajar pelo céu do coração. Carma não é vingança divina; e reencarnação não significa descer para sofrer. Quem carrega o inferno em si mesmo, a tudo condena. Falar de perdão não significa perdoar; há pregadores religiosos cheios de ódio. Sair do corpo é normal; fenômeno estranho é viver sem horizontes maiores. Pra quem congelou o próprio coração, o mundo inteiro parece o Ártico. Quem está triste, vê tudo cinzento; no entanto, além das nuvens, o sol brilha. Que manto dourado ou roupa nova poderá fazer brilhar um coração egoísta ? Não importa quem você foi em outra vida; vale mais o que você faz agora ! Viver é muito mais do que só existir. E fica melhor quando se é feliz ! Viver vale a pena ! Seja Feliz !

(Wagner Borges)


O ARCO ÍRIS DO CRIADOR:

Disse o Vermelho ao Azul:
"Amigo, como é possível que o seu rezar não seja feliz como o meu?"
O Azul disse em resposta:
"Vermelho, por que a sua prece não tem o sentimento da minha?"
O Amarelo disse ao Verde:
"Meu amigo, por que você ao rezar nunca se ajoelha ou se curva?"
Disse o Verde ao Amarelo:
"Você chama isso rezar? Discordo, não é assim que se faz".
Então vieram o Índigo e o Laranja com outras formas de prece, velhas e novas.
O Violeta, coitado, ficou pálido como se
estivesse com medo. Para todos, ele rezava em segredo.
"Ó cores", disse então Deus: "Cada uma de vocês é minha. Sem minha luz, como poderiam brilhar?
Rezem como sua cor lhes mandar. Não deixem de brilhar. Preciso de suas diferenças: elas fazem o meu arco-íris."

(Texto de Jill Slee Blackder.)


DEFICIÊNCIAS...


Deficiente: É aquele que não consegue modificar sua vida aceitando às imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive; sem ter consciência de que é dono de seu destino.

Louco: É quem não procura ser feliz com o que possui.

Cego: É aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria. E só têm olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Surdo: É aquele que não tem tempo do ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão; pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

Mudo: É aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia .

Paralítico: Quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.


Diabético: É quem não consegue ser doce.

Anão: É quem não sabe deixar o AMOR crescer.

E finalmente, a pior das deficiências é ser Miserável, pois "miseráveis" são todos aqueles que não conseguem falar com DEUS.

(Autoria atribuída à Mário Quintana.)


ATÉ O VENTO FAZ A CURVA...

A vida e a evolução são cheias de mistérios.
Não possuem dogmas que é fruto da ignorância humana, mas mistérios de fato. A ciência e o místico só existem por causa da observação e da percepção que é o discernimento da verdade. Parece que não existe linha reta. Em tudo há exceção, há fluxo de altos e baixos. A mudança é a mãe da evolução.
Até o vento faz curva, então porque nós também não? Há fases boas e ruins. Há sorrisos e lágrimas.
Há euforia e depressão. Há montanhas e vales
luzes e sombras nos projetos e caminhos.
Somos consciências, grãos cósmicos que perfazem o Todo. O Eterno nos abarca, o Infinito circunscreve e o absoluto nos permeia. Assim seguimos em curva, tal qual o vento que procura o melhor caminho para encontrar seu destino. O destino do vento eu não sei, mas que o nosso destino seja a Paz operosa e o trabalho lúcido rumo ao Eterno Evolutivo.

(Dalton Campos Roque)


O MUNDO E VOCÊ...


Em um hospital, especializado em tratamento do câncer, onde é importante uma atitude otimista em favor da recuperação; há significativa e edificante orientação poética, em pequeno quadro. Ela diz tudo, sob a ótica insuperável do Cristo:

O Mundo tem sua cor...

É você que mede o mundo; e o vê como é você.

Se você põe óculos de bondade e de amor;

Tudo é belo e positivo,

Porque positivo e belo está você.

Se você é vingativo,

Invejoso, egoísta,

Vê o mundo desse jeito,

Porque desse jeito é você.

Do modo que você fala,

Do modo que você vê,

Do modo que você pensa,

Desse modo é você.

Você é a medida do seu mundo,

Mas... Que felicidade ! Que alegria !

Se Cristo fosse a medida de você !

(Texto retirado do livro “Uma Razão para Viver”, de Richard

Simonetti.)


O MESTRE...


O Mestre não deseja reverência, deseja trabalho.
O Mestre não deseja ritual, deseja humildade.
O Mestre não deseja dedicação a Ele, deseja dedicação
ao mundo.

O Mestre não deseja parapsiquismo, deseja amor.
O Mestre não deseja teoria, deseja a prática.
O Mestre não deseja a técnica, deseja aplicação.
O Mestre não deseja rótulo ou pacote, deseja espiritualidade.
O Mestre não deseja alguma linha, deseja evolução.
O Mestre não deseja competição, deseja respeito.
O Mestre não deseja discípulos avançados, deseja avanços
no coração.

O Mestre não deseja a pose honrosa, deseja a honra de servir sem preconceito.
O Mestre não deseja o brilho do cristal, deseja a cristalinidade do coração.
A fraternidade exige iniciativa, o bem exige coragem e todos têm possibilidade de assim conviverem.
Seu Mestre não se encontra nas montanhas do Himalaia, se encontra nas aberturas de Luz, que vem de dentro de seu coração.

Basta o discípulo estar pronto; e o Mestre aparece...

(Adaptação de uma mensagem de Ramatis. )


VIAJANDO ESPIRITUALMENTE PELOS MARES ETÉREOS:

(Toques Conscienciais dos Iniciados na Senda do Eterno)

(Texto de Wagner Borges)


Irmão de senda espiritual,

Tu és um navegante dos mares etéreos...

Tua jornada teve início no porto do Supremo.

E tua chegada também será n’Ele.

Porque tu navegas pelo infinito...

Ao longo dos eons e eons de tempo,

Tu viajaste por muitos planos.

Tua nau espiritual singrou os espaços,

E também aportou nos mundos da carne.

E tal é tua viagem atual, mais uma vez...

Para teu aprendizado, tu estás na Terra.

E o teu envoltório carnal é de luz condensada.

Mas, tu continuas sendo espírito.

E quando teu corpo dorme, tu podes voar (1).

E podes aprender e trabalhar extrafisicamente.

E podes fazer mais... Se tiverdes humildade.

Porque há iniciações espirituais fora do corpo.

E tu podes crescer muito... Se teu propósito for limpo.

E os mestres não te pedirão nenhuma senha iniciática.

Porque eles vêem a verdade que está em teu coração.

E apenas lhe pedirão para realizar o Bem e honrar a Luz.

E eles te levarão pelos portais extrafísicos, aos templos astrais.

E depois, se tu fores honrado, terás acesso aos planos mais elevados.

Conhecerás os níveis da consciência pura, sem tempo e sem forma.

E teu coração será preenchido de Amor incondicional.

E no retorno ao corpo físico, despertarás cheio de alegria.

E agradecerás ao Todo, o Supremo Hierofante (2) e fonte de toda glória.

E, então, em silêncio, tu abraçarás o mundo e teus irmãos de humanidade.

Porque, em teu coração, retumbará o som das esferas espirituais.

E parte de ti se recordará dos mares etéreos e dos mestres serenos.

E, mesmo enredado no envoltório carnal, tu sentirás o Eterno em tua vida.

E uma estrela prânica (3) velará por ti e te guiará na jornada espiritual...

Ah, teu coração reconhecerá outros corações na senda, na mesma Luz.

E tu e eles trabalharão juntos, mesmo à distância, na mesma egrégora (4).

Porque aquilo que é ligado no Céu, também é ligado na Terra.

A senda espiritual não está em algum lugar, a não ser em teu próprio coração.

Irmão, tu és um espírito. Sempre foste. E sempre serás!

Na carne, ou fora dela, tu és a centelha luminosa de um Grande Amor.

E quando te lembrares do Supremo, que o teu peito vire um sol.

Porque aquele Poder Incomensurável que criou tudo, também está em teu coração.

Então, honre-O em ti mesmo. E faças o Bem, sem olhar a quem...

P.S.:

Se tu fores humilde, teus passos serão honrados.

Se teus propósitos forem justos, o fogo do Céu descerá sobre ti.

Se teus passes forem luminosos, os devas da cura estarão contigo.

Se teu discernimento for ativo, a clareza te acompanhará.

Se tu compreenderes teus irmãos em prova, o Céu também te compreenderá.

Se tu fores equânime e sereno, mesmo sob as pressões do mundo, caminharás feliz.

Se te fores sensato e generoso, a Mão do Ancião dos Dias te sustentará.

E se escutares a canção dos iniciados em teu coração, tu compreenderás...

Que és um eterno neófito do Todo – uma criança diante do infinito.

Porque, “na Casa do Pai há muitas moradas!”

E só o Amor abre as portas de todas elas.

“O Todo está em tudo!”

Paz e Luz.

- Os Iniciados (5) –

(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 14 de julho de 2010.)

- Notas:

1. Projeção da consciência – é a capacidade parapsíquica - inerente a todas as criaturas -, que consiste na projeção da consciência para fora de seu corpo físico.

Sinonímias: Viagem astral – Ocultismo.

Projeção astral – Teosofia.

Projeção do corpo psíquico - Ordem Rosacruz.

Experiência fora do corpo – Parapsicologia.

Viagem da alma – Eckancar.

Viagem espiritual – Espiritualismo.

Viagem fora do corpo – Diversos projetores extrafísicos e autores.

Emancipação da alma (ou desprendimento espiritual) – Espiritismo.

Arrebatamento espiritual - autores cristãos.

2. O Todo - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.

Quando se afirma que o Todo é o Grande Hierofante, é no sentido de que Ele é o Supremo iniciador de todos os seres, pois está em tudo!

Obs.: Hierofante - dentro do contexto das iniciações esotéricas da antiguidade, era o mestre que testava os neófitos (calouros) nas provas iniciáticas.

3. Estrela Prânica - do sânscrito, prana - a força vital; a energia - no contexto iogue é a estrela espiritual, manifestação do plano divino. Para melhor compreensão sobre isso, sugiro ao leitor ler o texto "A Canção das Estrelas-Bebês", no seguinte endereço específico do site do IPPB: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=2322

4. Egrégora - do grego “Egregorien”, que significa “velar”, “cuidar” - é a atmosfera coletiva plasmada espiritualmente num certo ambiente, decorrente do somatório dos pensamentos, sentimentos e energias de um grupo de pessoas voltado para a produção de climas virtuosos no mundo.

É a atmosfera psíquica resultante da reunião de grupos voltados para trabalhos e estudos baseados na LUZ. Pode-se dizer que toda reunião de pessoas para a prática do Bem e da Virtude - independentemente de linha espiritual - forma uma egrégora específica, uma verdadeira entidade coletiva luminosa, à qual se agregam várias outras consciências extrafísicas alinhadas com aquela sintonia espiritual para um trabalho interconsciencial.

Provavelmente foi por isso que Jesus ensinou: "Onde houver dois ou mais em meu nome, aí eu estarei."

Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária, e só fica o que interessa: a LUZ.

No dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza esse mundo será melhor de viver.

Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independentemente de credo, raça ou cultura esposada.

5. Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.

Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.